Eliane Penachim
Fonoaudióloga
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle

© 2019 Orgulhosamente criado por Lucas Kaique

MENINGITE - CONHEÇA A DOENÇA E COMO PREVENI-LÁ

 

A meningite é uma inflamação das membranas (meninges) que envolve o cérebro e a medula espinhal. Essa inflamação nas meninges é que provoca os sintomas de dor de cabeça, febre e rigidez no pescoço. A maioria dos casos de meningite são virais, mas bactérias ou fungos também podem causar meningite. Podem haver sérias complicações quando não tratada adequadamente, e se houver a suspeita da doença, a criança deve ser avaliada pelo médico imediatamente.

 

As meningites bacterianas são as mais graves do ponto vista clínico. Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, o meningococo apresenta os sorotipos: A, B, C, X, Y e W135 e a transmissão é por via respiratória, através de gotículas e secreções do nariz e garganta, ao tossir, falar ou espirrar.


O diagnóstico “padrão ouro” ocorre pelo exame do líquor, líquido que banha o sistema nervoso. A cor do líquor já indica se a meningite é por bactéria ou vírus. Os principais sintomas da doença incluem:


Febre alta e repentina
Dor de cabeça intensa e contínua
Vômitos
Náuseas
Rigidez de Nuca
Pequenas manchas vermelhas na pele (se a meningite for causada pelo meningococo)

Prevenção:
Existem algumas vacinas que protegem contra meningite bacteriana, como as vacinas pneumocócica, meningocócica tipo C, B e ACWY, a vacina contra Haemophilus Influenzae tipo B (que compõe a vacina pentavalente ou a hexavalente), porém contra meningite viral não existe vacina.


Como é o esquema vacinal da vacina de Meningite B?
Para crianças entre 2 a 5 meses: A vacina pode ser dada a partir dos 2 meses, sendo 3 doses com intervalo de 2 meses entre elas. Uma dose de reforço deve ser aplicada entre 12 e 23 meses de idade.


Para crianças entre 6 a 11 meses: 2 doses, com intervalo de 2 meses entre elas e um reforço aos 2 anos de idade.
Acima de 1 ano de idade: 2 doses, com intervalo de 2 meses, sem necessidade de reforço.


É importante ressaltar que existem inúmeros VÍRUS que causam meningite viral, e até encefalite, sem vacinas disponíveis. Nesses casos a melhor proteção é lavar sempre as mãos, evitar lugares fechados e evitar contato com pessoas doentes.